Due Diligence o que é

Due Diligence: o que é e qual sua importância?

Toda empresa precisa fazer negociações, operações financeiras, investimentos e outras práticas de risco, não é verdade? Por isso, uma análise aprofundada, antes de realizar as transações corporativas, é crucial para evitar problemas que podem até mesmo levar o negócio à ruína.

É aí que entra o Due Diligence, uma estratégia que envolve um estudo criterioso e uma avaliação detalhada antes da realização de uma operação financeira.

A seguir, vamos explicar melhor o que é Due Diligence e por que implementar essa prática é tão importante para as empresas. Confira!

O que é Due Diligence?

Due Diligence pode ser definido como um processo de estudo e análise aprofundados dos dados e informações de uma empresa, a fim de avaliar os riscos e as oportunidades de um negócio.

Ele pode ser usado tanto em transações básicas, como compra e venda de produtos ou serviços, quanto em operações de alto investimento, como aquisições, fusões e parcerias entre corporações.

No primeiro caso, o Due Diligence serve para avaliar os riscos e a viabilidade da operação em situações como contratação de fornecedores, desenvolvimento de produtos e parcerias comerciais.

Já quando a empresa pretende fazer uma aquisição ou uma fusão societária, o processo terá o objetivo de investigar documentos e dados de todo o histórico da outra empresa, avaliar as perspectivas para o futuro e até descobrir informações ocultas.

Vale lembrar que essa prática pode ser aplicada em diversos setores corporativos, englobando a parte financeira, contábil, fiscal, jurídica, trabalhista, previdenciária, ambiental, tecnológica, entre outras.

No âmbito contábil, por exemplo, são analisadas as demonstrações contábeis, a situação financeira da empresa, os passivos em relação às obrigações atuais e futuras e os riscos e as oportunidades de negócio.

Qual a sua importância?

O processo de Due Diligence é importante em qualquer operação que envolva investimentos, gastos ou riscos financeiros.

Ao implementar essa prática, externa ou internamente, é possível prever riscos, analisar oportunidades e tomar as medidas cabíveis para evitar que o negócio apresente problemas ou prejuízos no futuro.

Se a sua empresa pretende fazer uma aquisição ou incorporação de um negócio, por exemplo, o Due Diligence ajudará a descobrir:

  • se o investimento é viável;
  • se as obrigações legais e tributárias estão em dia;
  • se o fluxo de caixa é saudável;
  • se há boas projeções financeiras;
  • e outras informações relevantes para a sua tomada de decisão.

Além disso, implementar o Due Diligence internamente permite ter uma visão precisa e real da situação do negócio. Você poderá, por exemplo:

  • avaliar a situação contábil e fiscal, desenvolvendo estratégias para evitar prejuízos financeiros;
  • diagnosticar e prever os riscos do negócio e, assim, tomar melhores decisões, otimizar processos e solucionar problemas;
  • descobrir as fraquezas e os pontos fortes, assim como os riscos e as oportunidades;
  • identificar possíveis fraudes ou irregularidades nas relações com fornecedores, clientes, parceiros e funcionários, buscando garantir o compliance da empresa.

Como você pode ver, o Due Diligence é um processo essencial para mitigar riscos e, assim, melhorar os rumos do negócio e garantir a sua sustentabilidade.

Por fim, lembre-se de que a prática é ampla e complexa e, por isso, é recomendável ter especialistas capacitados para isso. Com um time multidisciplinar, com advogados e contadores, por exemplo, seu processo de Due Diligence será muito mais eficaz.

Gostou do nosso post? Então, acesse nosso blog para mais conteúdos como esse!

Tags: No tags

Comments are closed.