Business Finance, accounting, contract, advisor investment consulting marketing plan for the company with using tablet and computer technology in analysis.

5 Dicas de Gestão Financeira para o Terceiro Setor

Diferentemente dos Primeiro e Segundo Setores, respectivamente o público e o privado, o Terceiro Setor se refere às organizações não governamentais, entidades filantrópicas e organizações sem fins lucrativos/econômicos. No entanto, fazer a gestão financeira de uma organização deste tipo é, sem dúvidas, essencial.

Se engana quem pensa que essas organizações não necessitam de uma boa gestão. Pelo contrário, por conta do grande impacto sobre os seus resultados, torna-se imprescindível administrar os recursos, desenvolver um planejamento estratégico consistente e contar com uma boa prestação de contas.

Por esses motivos, separamos 5 Dicas para ajudar na Gestão Financeira dessas organizações.

Gestão financeira no Terceiro Setor

Um dos pontos principais de organizações com esse caráter é resolver ou diminuir desigualdades sociais e econômicas da sociedade, o que gera uma grande responsabilidade social.

Como em qualquer outra entidade, no Terceiro Setor é necessário ter uma ótima gestão, garantindo a correta administração dos recursos e uma prestação de contas clara e pontual. Isso porque existem algumas limitações no setor a serem consideradas.

Administração eficiente

A primeira grande questão para garantir uma ótima Gestão Financeira é a administração eficiente, que tenha controle sobre as movimentações financeiras da organização e saiba lidar com as limitações que o Terceiro Setor impõe.

Significa dizer que, nesse sentido, captar recursos, realizar o pagamento das despesas e manter um bom planejamento de curto e longo prazo, são aspectos essenciais para que a instituição mantenha claros os seus objetivos.

Portanto, considere na sua administração as seguintes perguntas norteadoras:

  • Quais são os objetivos da sua instituição e como eles contribuem para a sua realidade?
  • Para captar recursos, quais são suas fontes e como elas serão administradas?
  • Quais são os gastos que mantém a sua organização funcionando?
  • É possível prever o que pode interferir nos seus objetivos?

Captação de recursos

Como o Terceiro Setor é composto por organizações sem fins lucrativos, tão importante quanto a Gestão Financeira é a captação de recursos.

Existe uma variação bem comum nesse tipo de instituição, e por isso o planejamento de como irá ocorrer a captação e aplicação desses recursos deve contemplar essas variáveis na arrecadação de dinheiro e os cenários que podem causar impactos.

Para que você consiga bons resultados e mantenha a sua sobrevivência, pense o seguinte:

  • Como posso mapear quais são as fontes disponíveis para captar recursos?
  • Dentre elas, quais são de caráter público e quais não são?
  • É possível criar campanhas de financiamento que sensibilizem o público com a sua causa?
  • Quais estratégias podem ser adotadas, como eventos, vendas de produtos e rifas?

Planejamento, organização e análise

No Terceiro Setor, é preciso que a Gestão Financeira contemple cenários não apenas no curto prazo, mas principalmente a longo prazo.

Por isso, planejar, organizar e analisar resultados é essencial para medir as ações necessárias a serem tomadas e entender quais despesas podem surgir, assim como novas receitas.

Com isso em mente, pense nas seguintes perguntas:

  • Dentro da sua realidade, quais cenários podem causar impactos na saúde da entidade?
  • Diante das adversidades, é possível contar com um fundo de emergência?
  • Quais ferramentas podem ajudar na Gestão Financeira?
  • Como definir processos internos e garantir estabilidade?

Prestação de contas

Como a gestão financeira no Terceiro Setor não visa o lucro, mas precisa captar recursos, prestar contas é uma parte fundamental para garantir a confiabilidade dos investimentos e a aplicação das ações de acordo com a realidade social em que você atua.

Nesse sentido, é preciso ter clareza nos seus objetivos e oferecer um detalhamento das fontes de captação e dos períodos em que elas se fizeram presentes, como aconteceu a aplicação dos recursos e de que forma as ações impactaram a sociedade.

Para isso, pense no seguinte:

  • Com quais públicos devo me comunicar?
  • Como fornecer transparência nas informações?
  • De que forma posso mensurar os resultados e melhorar o planejamento de recursos e despesas?
  • Como atender ao que diz o Estatuto dos Direitos do Doador e as exigências legais?

Ferramentas indispensáveis

Algumas ferramentas e metodologias podem ajudar a manter a Gestão Financeira da sua organização de Terceiro Setor e garantir a sua sobrevivência.

Dentre as mais conhecidas, destacamos as duas mais importantes:

Auditoria Interna

Defina os processos internos para promover o acompanhamento claro do fluxo de caixa, das receitas e despesas e os objetivos a serem conquistados pela organização.

A auditoria interna irá fortalecer os seus processos e fazer com que a sua gestão financeira tenha mais dinamismo, permitindo a transparência das suas ações e aumentando o controle sobre o que acontece na sua organização de forma objetiva e prática.

Balanço Patrimonial

Esta é uma questão fundamental para a sua Gestão Financeira no Terceiro Setor, pois irá garantir que as ações e estratégias estejam alinhadas às suas despesas e receitas.

É por meio do balanço patrimonial que você irá compreender o fluxo de caixa, ou seja, o que entra e sai da sua entidade, além de acompanhar toda a sua movimentação econômica, que, por consequência, ajudará na prestação de contas de forma transparente e responsável.

A Gestão Financeira mantém o Terceiro Setor vivo

Com as dicas que trouxemos neste artigo, foi possível entender a importância de ter uma gestão eficiente, de modo a garantir a sua sobrevivência e a continuação dos impactos sociais que você proporciona à sociedade.

Por isso, tenha em mente que planejar e analisar suas ações é um passo importante para se ter sucesso em sua Gestão Financeira no Terceiro Setor, que a cada dia se transforma mais.

Esse artigo foi útil para você? Então acesse a nossa central educativa para mais conteúdos como esse.

o que é gestão financeira

O que é gestão financeira e por que é tão importante?

Uma boa gestão financeira é essencial não apenas para garantir um caixa saudável, mas também para possibilitar o crescimento sustentável dos negócios.

Por isso, seja qual for o porte ou o ramo da sua empresa, implementar uma gestão financeira eficiente é crucial para garantir controle operacional, fortes estratégias e decisões acertadas.

A seguir, entenda com mais detalhes o que é gestão financeira e por que você não pode abrir mão dela no seu negócio!

O que é gestão financeira?

Gestão financeira é a administração das finanças do negócio, com foco na obtenção de resultados e no aumento da lucratividade. A atividade envolve planejamento, controle, acompanhamento e análise de toda a parte financeira da empresa.

Para isso, existe uma série de processos, ferramentas e métodos que podem ser adotados para que a gestão financeira seja eficiente e eficaz.

Veja algumas das funções que são essenciais e devem fazer parte de toda gestão financeira:

  • controle do fluxo de caixa, com acompanhamento de todas as despesas e receitas;
  • controle de contas a pagar e a receber, com cumprimento de todos os prazos;
  • planejamento financeiro, com estabelecimento de metas, objetivos e análise de resultados;
  • planejamento tributário, com adoção de estratégias lícitas para redução de encargos;
  • avaliação do desempenho econômico, por meio da análise de demonstrações contábeis;
  • análise de investimentos para avaliar o retorno sobre investimentos e tomar melhores decisões no futuro.

Por que a gestão financeira é importante para sua empresa?

Como vimos, a gestão financeira envolve funções que vão muito além de contas a pagar e a receber ou de um controle de caixa. Essas atividades são, sim, importantes para uma empresa. Afinal, elas são fundamentais para garantir controle das finanças e evitar prejuízos.

Contudo, mais do que isso, a gestão financeira tem papel importante também na implementação de ações estratégicas que tragam melhores resultados para a empresa.

Por meio de um bom planejamento orçamentário, projeções para o futuro e análises baseadas em dados, a gestão financeira é crucial para garantir um crescimento sustentável das empresas no mercado.

Por isso, é importante perceber o lado estratégico da gestão financeira, e não apenas operacional. Além de planejar as finanças e controlar o orçamento, defina metas, colete e analise dados, monitore os resultados. Tudo isso é importante para a empresa alcançar seus objetivos.

E, para que sua gestão financeira se torna cada vez mais estratégica e menos burocrática, você pode contar com a ajuda de uma assessoria contábil. Afinal, como vimos, a contabilidade é uma parte essencial para manter a saúde financeira das empresas.

Com uma assessoria, você melhora sua gestão financeira, pois:

  • garante o cumprimento dos deveres tributários e fiscais;
  • tem melhor planejamento e controle das movimentações financeiras da sua empresa;
  • tem uma visão ampla da sua situação financeira e dos resultados, o que permite melhores tomadas de decisão.

Agora que você já sabe como a gestão financeira é importante para o seu negócio, confira outros artigos em nosso blog!

Auditoria em Condomínios

Auditoria em Condomínios: quando é necessária e qual sua importância?

O serviço de auditoria, em geral, tem a função de examinar se as atividades desenvolvidas estão de acordo com o que foi planejado e estabelecido previamente. Ele também avalia se as ações foram implementadas com eficácia, seguindo os objetivos do trabalho em si.

A auditoria em condomínio tem como missão desburocratizar e facilitar o cotidiano do síndico. Afinal, permite que ele foque suas energias em realizar uma boa gestão condominial, deixando a parte burocrática para quem tem mais experiência na área.

Com isso, ao mesmo tempo em que torna a gestão mais confiante, deixa as contas condominiais transparentes.

Mas afinal, o que é auditoria em condomínio e para que ela serve? Descubra abaixo!

O que é auditoria em condomínio?

É uma prática que consiste em avaliar como está sendo realizada a gestão de um condomínio. É possível saber, por exemplo, se os recursos estão sendo direcionados adequadamente – sem qualquer irregularidade ou fraude.

Existem 2 tipos de auditoria que podem ser realizadas:

  1. Preventiva: As irregularidades são informadas e regularizadas de forma pontual, ou seja, é realizada apenas quando algo precisa ser analisado. Ela oferece suporte ao síndico e maior transparência aos condôminos;
  2. Investigativa: Consiste em avaliar diversos fatos ocorridos no passado, deixando-os explícitos em um relatório. Geralmente, isso é realizado de forma anual como forma de prestação de contas.

Nos dois tipos de auditoria em condomínios, os relatórios gerados permitem:

  • Realizar um planejamento mais conciso;
  • Tomar melhores decisões;
  • Evitar qualquer tipo de risco às finanças e à administração em geral.
  • Realizar ajustes e correções mais facilmente;
  • Promover mudanças de planejamento.

Por que fazer uma auditoria em condomínio?

Existem diversas situações que exigem a realização de uma auditoria para que o condomínio não seja prejudicado. Os casos mais comuns são:

Má gestão

A má administração pode ser causada pela má fé do síndico ou então por sua incapacidade gerencial. Logo, quando começam a surgir indícios de que o condomínio não está sendo bem administrado, é essencial captar provas e, com elas em mãos, buscar alternativas a fim de reverter a situação e resolvê-la da melhor maneira possível a partir de medidas necessárias.

Exemplo de erros que demonstram a ocorrência de uma má gestão são:

  • Excesso de arrecadações extras;
  • Estado de conservação precário do condomínio;
  • Contas sempre negativas;
  • Ausência de prestação de contas.

Procedência de serviços e produtos

Outro ponto que deve ser analisado pelos condôminos é se o preço e a qualidade dos serviços prestados ou produtos adquiridos são, de fato, adequados às necessidades e à realidade financeira do condomínio.

Embora não seja efetivamente um problema, é importante ter provas de que os serviços contratados são os mais indicados.

Lesão no caixa do condomínio

Outra situação comum e que pode ser detectada através da auditoria em condomínio é o uso de recursos gerenciais para custeio de despesas pessoais. Este caso pode ser considerado fraude, em que o síndico age de má fé ou é tão desorganizado a ponto de misturar o seu dinheiro com o do condomínio.

Neste caso, o serviço de auditoria realiza uma análise de fluxo de caixa, batendo todos os valores e buscando onde estão as brechas.

Faça auditorias no seu condomínio!

Manter a administração do condomínio é importante para todos, seja síndico ou moradores. Isso porque permite obter transparência nas informações, o que é importante para garantir os melhores investimentos no imóvel.

Para realizar esse serviço, porém, é essencial buscar uma assessoria apta. 

A Segato conta com especialistas para realizar essa auditoria com total agilidade e eficiência. Entre em contato conosco e saiba mais!

prestação de contas entidades do terceiro setor

Entenda a importância da auditoria para o Terceiro Setor

Muitos escutam falar sobre o terceiro setor, mas não sabem exatamente o que é e como funciona. No entanto, trata-se de uma divisão criada pelos Estados Unidos, formada pelas organizações privadas sem fins lucrativos prestadoras de serviços públicos, as famosas ONG’s (Organizações Não Governamentais). Por ser sem fins lucrativos, não quer dizer que não necessite fazer uma prestação de contas das entidades do terceiro setor.

A auditoria é o processo de verificação de todos os registros financeiros e de operações de uma empresa. Neste artigo, vamos esclarecer como funciona uma auditoria e qual a importância dela para o terceiro setor.  

O que é auditoria e como ela impacta o terceiro setor?

Antes de tudo, vale lembrar que o terceiro setor é mais utilizado no Brasil do que nos Estados Unidos, onde a divisão foi criada. Aliás, como já citamos anteriormente, trata-se do conjunto de atividade voluntárias desenvolvidas em favor da sociedade, por organizações privadas não governamentais e sem objetivo de lucro. 

Mas assim como uma empresa, o terceiro setor também precisa fazer uma prestação de contas. Aliás, o termo auditoria pode ser bem comum, mas você sabe o que realmente significa? Em síntese, trata-se de uma especialização dentro do setor contábil, que estuda, registra e interpreta os fatos e fenômenos que alteram o patrimônio de um negócio ou organização.

Ou seja, nada mais é do que um processo de conferência ou prestação de contas que tem o objetivo de descobrir se as ações, a contabilidade e a documentação de uma empresa ou ONG estão de acordo com o que foi planejado, e em conformidade com a legislação.

Enfim, o papel da auditoria é focar em um exame sistemático das atividades desenvolvidas na organização do terceiro setor. Entretanto, ela é essencial para qualquer segmento, pois ajuda a evitar fraudes e prevenir irregularidades, identificando possíveis falhas no sistema financeiro e no controle interno.

Além disso, impacta positivamente nos pilares da governança corporativa, garantindo a transparência e a prestação de contas da gestão. Com isso, os gestores têm informações mais detalhadas e concretas sobre a real situação econômica da organização. O processo de auditoria também dificulta possíveis desvios de bens patrimoniais.

Qual a importância de uma auditoria?

Toda empresa precisa acompanhar a execução das tarefas de perto e certificar-se de que o planejamento esteja sendo seguido de forma adequada, e em uma organização do terceiro setor não é diferente. 

Aliás, ao realizar periodicamente uma auditoria é possível fiscalizar a eficiência dos controles internos, o que garante que os registros contábeis sejam fiéis à realidade da ONG, além da prestação de contas de tudo o que é executado.

Ao contrário do que muitos pensam, esse processo não serve somente para apontar problemas ou defeitos na gestão, mas também para encontrar os pontos fortes da organização e potencializar os mesmos. Contudo, a ONG tem a chance de aperfeiçoar seu ambiente de trabalho. Além disso, a disseminação de boas práticas é valorizada durante o processo.

Entenda porque a auditoria é importante para o Terceiro Setor

Todas as operações de uma entidade sem fins lucrativos em aspectos financeiros, trabalhistas, contratuais e fiscais são semelhantes às de qualquer empresa, além disso, possuem giro financeiro comparáveis à uma empresa de grande porte.

Por isso, a auditoria é uma valiosa ferramenta para a gestão de organizações do terceiro setor e prestação de contas à sociedade. Isso porque minimiza os riscos e contingências geradas por suas operações. Além disso, garante mais credibilidade e segurança às informações prestadas aos parceiros, órgãos financiadores, entre outros contribuintes.

De nada adianta prestar um serviço assistencial de qualidade e gratuito, se a organização não tiver uma escrituração contábil eficiente. Além disso, a auditoria no terceiro setor é muito utilizada para que os órgãos de controle verifiquem a conformidade dos atos praticados pelas entidades. 

Por outro lado, o interesse público, as isenções tributárias usufruídas, a relevância dos serviços prestados e as verbas públicas repassadas exigem uma série de controles e procedimentos.

Aliás, é muito comum encontrar ONGs com dificuldades de obter certidões negativas ou positivas de débitos tributários. Isso porque, nesses casos, os débitos são gerados por registros mal feitos, falhas no sistema ou prestações de contas feitas de forma inadequadas. Entretanto, o documento é obrigatório para isenção e convênios.

Quanto maior a qualidade do controle nas entidades, maior a segurança daquilo que se faz e se informa. Por isso, a auditoria é uma oportunidade de estabelecer, testar e avaliar cada procedimento, registros e reflexos para a entidade.

Auditoria, um processo indispensável!

De fato podemos concluir que a auditoria é um processo indispensável para o terceiro setor. Isso porque as entidades necessitam de uma prestação de contas para reforçar a credibilidade da organização e garantir o repasse de verbas, doações e isenção de impostos.

Prova disso é a pesquisa “Auditoria no Terceiro Setor – Percepções e Resultados” realizada em 2006, com entidades de São Paulo. Todas foram auditadas por auditores externos independentes a mais de um ano e que atuam em diversas áreas, tais como, educação, saúde, assistência social, inclusão social, reabilitação, incentivo a gestão e empreendedorismo.

Com a pesquisa, foi possível comprovar a importância da auditoria. As entidades, quando questionadas, perceberam melhorias em diversos aspectos de gestão. O estudo também concluiu que as organizações pesquisadas buscam associar-se a empresas de auditoria externa independente que possuem um nome forte e respeitado no mercado. 

Quer saber mais sobre a auditoria no terceiro setor? Gostou do conteúdo e quer continuar acompanhando nossos materiais? Deixe seu comentário, se inscreva no formulário e fique por dentro!